Lição None

Leitura Diária da Escola Dominical.Lição 12 - José,O Pai Terreno de Jesus, Um Homem de Caráter

José de Nazaré, Um Homem Justo Conforme os Padrões da Lei, que Deus entregou a Moisés


Lições bíblicas
Arquivo
Partilhe! Obrigado.

LEITURA DIÁRIA DA ESCOLA DOMINICAL, LIÇÃO 12, JOSÉ,O PAI TERRENO DE JESUS – UM HOMEM DE CARÁTER

O VERBO SE FEZ CARNE- JOÃO.1:1

NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

O Verbo (Logos) em João 1 está se referindo a Jesus.

 Jesus é a mensagem completa, tudo que Deus quer comunicar ao homem.

 O primeiro capítulo de João nos dá um vislumbre do relacionamento Pai/Filho antes de Jesus vir à terra em forma humana.

 Ele preexistiu com o Pai (versículo 1),

 Ele estava envolvido na criação de tudo (versículo 3),

Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.

 Ele é a "luz dos homens" (versículo 4).

Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.

 

A Palavra Jesus é a incorporação completa de tudo o que é Deus Colossenses 1:19; 2: 9; João 14: 9).

-Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse,

-Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade;

-Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai;

 Entretanto, Deus Pai é Espírito. Ele é invisível ao olho humano.

 A mensagem de amor e redenção que Deus falou por meio dos profetas passou despercebida por séculos. Mateus 23:37.

Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!

 As pessoas achavam fácil ignorar a mensagem de um Deus invisível e continuarem em seu pecado e rebelião.

 Então a Mensagem se fez carne, assumiu a forma humana e veio habitar entre nós Mateus 1:23;  Filipenses 2: 5-11

Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco.

 

De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,

Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,

Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;

E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.

 

TERÇA-FEIRA – JOSÉ ERA DA DESCEDENCIA DE DAVI – LUCAS.2:4 E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),

As genealogias de Jesus Cristo são dadas em Mateus 1:1-17 e em Lucas 3:23-38.

 Não devemos achar estranho que tenhamos duas genealogias.

 Todo mundo tem duas genealogias: uma de seu pai e uma de sua mãe.

 Agora o pai de Jesus era Deus e, portanto, ele não poderia ter uma genealogia de seu pai natural.

No entanto, sua situação legal na sociedade era dependente do homem que a sociedade reconheceu como sendo seu pai, ou seja, José.

 É por isso que a Palavra de Deus dá duas genealogias.

 Em relação a estes dois problemas, é que temos as supostas genealogias

 O primeiro problema está relacionado com o fato de que enquanto na genealogia de Mateus. Mateus 1:16 nos é dito que:"Jacó gerou José, marido de Maria"

Ou seja, que José era um filho de Jacó, na genealogia correspondente de Lucas, lemos que Lucas.3:23
“E o mesmo Jesus começava a ser de quase trinta anos, sendo (como se cuidava) filho de José, e José de Heli, E Heli de Matã....."

O problema geralmente é criado aqui,

 Porque as pessoas têm tomado esta genealogia como uma genealogia de José.

Mas a genealogia não é de José, mas de JESUS .

Jesus, que deveria pela sociedade ser o filho de José, era filho de Heli, que era o filho de Matã, etc.

 Ele não era filho de Heli de José já que, segundo Mateus, o pai de José, não foi Heli, mas Jacó.

 Através de quem, portanto, Jesus foi filho de Heli? Encontramos a resposta através de Maria.

Além disso, outro ponto que tem sido uma fonte de controvérsia é a contagem das gerações no versículo 17 de Mateus 1, onde lemos:

“De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze gerações; e desde Davi até a deportação para a babilônia, catorze gerações; e desde a deportação para a babilônia até Cristo, catorze gerações.”

A maioria das pessoas lê as 3 catorzes gerações da passagem acima, e em vez de tentar encontrar as três catorzes gerações tentam encontrar uma única quarenta e duas (42).

Na verdade, onde é que a Palavra fala sobre 42 gerações?

 Em lugar nenhum. Em vez disso a Palavra fala sobre três grupos de catorze gerações cada. Quais são esses grupos?

 A resposta da Escritura é muito clara: O primeiro grupo é, desde Abraão até David.

O outro grupo de Abraão até Davi são mais catorze gerações"

Abraão, Isaque, Jacó, Judá, Perez, Esrom, Arão, Aminadabe, Nasom, Salmom, Boaz, Obede, Jessé, Davi.

O grupo 2 é de Davi até a deportação na Babilônia. O erro de muitos é que, embora a Palavra diga: "DESDE DAVI" eles começam a contar a partir Salomão. Seguindo os limites da Palavra, temos:

Desde Davi até a deportação para a babilônia, catorze gerações"

"Davi, Salomão, Roboão, Abias, Asa, Josafá, Jorão, Uzias, Jotão, Acaz, Ezequias, Manassés, Amom, Josias"

Este é o grupo real de quatorze gerações desde que todos neste grupo foram reis. O grupo começa com Davi e fecha com Josias, o último rei do reino.

Em relação ao terceiro grupo nos é dito que ele é da deportação na Babilônia até Cristo, que são mais 14 gerações

Jeconias2, Salatiel, Zorobabel, Abiúde, Eliaquim, Azor, Sadoque, Aquim, Eliúde, Eleázar, Matã, Jacó, José, Jesus.

Como é evidente, portanto, quando a Palavra diz três grupos de catorze gerações é o que ela significa. Se nós agora tentássemos encontrar quarenta e duas gerações, buscaríamos algo que a Palavra não diz e, obviamente, vamos ter problemas.

QUARTA-FEIRA,MATEUS.2:13,14

JOSÉ FUGIU PARA O EGITO COM MARIA E JESUS

“E, tendo eles se retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José em sonhos, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga e, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito. porque Herodes há de procurar o menino para o matar. E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho. Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias, que diz: Em Ramá se ouviu uma voz, Lamentação, choro e grande pranto: Raquel chorando os seus filhos, E não querendo ser consolada, porque já não existem. Morto, porém, Herodes, eis que o anjo do SENHOR apareceu num sonho a José no Egito” (Mateus 2:3-18).

 

 José e Maria fogem para o Egito para poupar a vida de Jesus (13-18)

 

 Apesar do erro dos magos uma profecia das Escrituras foi cumprida (Oséias 11:1):

 

O cumprimento desta profecia com relação a Cristo foi levado a cabo por Deus mediante o erro dos magos em ir para Jerusalém.

 

 Deus é soberano, mesmo sobre nossos erros.

 

 Nos versos 17-18 Mateus faz referência a Jeremias 31:15. Qual é o relacionamento entre Raquel e as criancinhas que foram mortas?

 

Raquel, esposa de Jacó foi sepultada no caminho para Belém (Gn.35:19; 48:7).

 

Ramá, cidade localizada no território de Benjamim (Js.18:21-28), não ficava distante do sepulcro desta.

 

Os meninos mortos por Herodes são considerados filhos de Raquel nesta profecia poética.

 

José e Maria, logo após a morte de Herodes, trouxeram Jesus de volta à boa terra de Israel e Ele foi criado em Nazaré, na Galiléia (19-23).

 

Pela soberana sabedoria de Deus, Cristo nasceu em Belém mas foi reconhecido como o Jesus de Nazaré.

 

Sua genealogia, nascimento, fuga para o Egito, seu retorno para Israel, sua infância em Nazaré foi muito misterioso e confundiu os Judeus:

 

O título Nazareno pode referir-se ao renovo em Isaías 11:1, que em hebraico quer dizer netzer.

 

O Renovo ali, que representa Cristo, é um ramo que sai do tronco de Jessé, Pai de Davi.

 

Na Época em que Jesus nasceu, o trono de Davi havia sido derrubado.

 

Isso significa que o tronco real de Davi havia sido cortado.

 

Agora, um novo ramo brotou do tronco de Jessé e saiu de suas raízes.

 

Esse ramo brotou e cresceu em uma situação humilhante.

 

Ora, Jesus não nasceu numa família real reconhecida e honrada, nem cresceu numa cidade renomada em Jerusalém.

 

Pelo contrário nasceu num lar pobre e cresceu numa cidade desprezada.

 

Tudo isso fez dele um Nazareno, um ramo, não um ramo grandioso de árvore majestosa, mas um ramo aparentemente insignificante do toco de Jessé.

QUINTA-FEIRA, MATEUS.13:55

JESUS O FILHO DO CARPINTEIRO

Não é este o filho do carpinteiro? e não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, e José, e Simão, e Judas?

SEXTA-FEIRA.MARCOS.6:3

JESUS O CARPINTEIRO

Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? e não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele.

José, o pai adotivo de Jesus era carpinteiro.

 Aliás, Jesus era também carpinteiro, pois as profissões na Palestina eram transmitidas de pai para filho desde o início da adolescência.

 José e Jesus são as duas únicas pessoas qualificadas como carpinteiros em todo o Novo Testamento.

O termo é de aplicação muita ampla, podendo designar um construtor de casas, um fabricante de arados e jugos ou de móveis.  
 
Pois bem, o filho do carpinteiro não teve um berço ao nascer.

 Desde sempre tem sido preocupação dos pais preparar um enxoval para os filhos que vão nascer, e um dos itens mais importantes desse enxoval é o berço, a primeira e apropriada cama do bebê.

 É de se supor que o próprio José, como carpinteiro, tivesse usado a sua melhor arte para fazer um berço para Jesus, mas este não pode usá-lo, pois nasceu muito longe de casa, na pequena vila de Belém, a uns 110 km de distância de Nazaré, a cidade onde moravam Maria e José.

 Ambos tinham ido para Belém pouco antes de Jesus nascer, por causa de um recenseamento convocado pelo imperador romano, e cada pessoa tinha que alistar-se no seu local de origem.
 
Chegando a Belém, o casal encontrou a cidadezinha lotada, e a melhor acomodação que encontraram foi um canto de estrebaria, um abrigo para animais.

Assim, ao nascer, Jesus não teve nenhum conforto, nem enxoval e muito menos um berço.

 Foi preciso improvisar, sendo usado então um cocho onde os animais comiam, um objeto de madeira bruta, que na Bíblia é chamado de manjedoura.

 Jesus é o Príncipe da Paz, mas não nasceu em “berço de ouro”, como se diz dos ricos e poderosos.

Meses mais tarde, os sábios que vinham seguindo sua estrela do Oriente foram procurá-lo num palácio em Jerusalém, mas admiraram-se de encontrá-lo em lugar e condição tão insignificantes.  
 
Mas foi assim que o Deus encarnado desceu até o mais humilde dos seres humanos; foi assim que o Pai quis que aquele que mais tarde seria crucificado sobre uma peça tosca de madeira, também começasse sua vida terrena: em uma peça tosca de madeira. Tinha que ser o filho do carpinteiro!

SABADO.JOSÉ UM HOMEM JUSTO. MATEUS.1:19

Mateus.1:18-25

José pai de Jesus quis ser justo no sentido da justiça através da lei não na justiça com base na graça

Afinal, parece que os receios de Maria se confirmaram.

José tencionava casar com Maria, certamente para levar a vida sexual normal de todos os que se casam e nada nos indica que não fosse essa a intenção da própria Maria depois de cumprir a sua promessa de gerar o seu primogénito Jesus

 Essa atitude estava em perfeita sintonia com o contexto do VT, em que a mulher era tanto mais respeitada quanto mais filhos tivesse, principalmente se fossem meninos.

Perante a Lei , José tinha o direito de reaver o que tivesse pago ao pai de Maria, e esta seria levada aos Juízes da porta da cidade de Nazaré, que lhe aplicariam o que está estabelecido em Deuteronómio 22:23,24. Era portanto a pena de morte por apedrejamento

Penso que Mateus, ao escrever o seu evangelho, foi muito moderado ao limitar-se a dizer que José “...como era justo...”, não quis levantar escândalo e tencionava simplesmente abandonar Maria e esquecer o problema.

 Para os primeiros leitores do evangelho de Mateus, bem integrados na cultura judaica, não era necessário dizer mais nada, pois todos sabiam perfeitamente da gravidade do suposto adultério nessa cultura.

Assim, foi necessária a intervenção dum anjo que falou a José, pois certamente que só o testemunho da própria Maria não seria aceite.

José aceitou o testemunho dos anjo.Todas as igrejas falam de Maria, e pouco se falam de José.

Mas, se Maria foi escolhida, José também foi escolhido por Deus, pois a sua reação não é a dum homem vulgar se atendermos ao contexto cultural em que eles viviam.

 

Partilhe! Obrigado.


Vamos iniciar o 3º Trimestre de 2019 Na EBD, A Maior Escola Do Mundo; Seja Bem Vindo

Nosso Compromisso com Deus e Com as Pessoas é Ensinar e Transmitir Informações das Santas Escrituras

EBD MOLDANDO VOCÊ

Valdemar Quaglio


EBD 2º Trimestre 2019 Lição 11 O Sacerdócio de Cristo e o Levítico

EBD 2º Trimestre 2019 Lição 11 O Sacerdócio de Cristo e o Levítico

Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e feito mais sublime do que os céus.” (Hebreusb 7.26)

EBD Escola Bíblica Dominical 2º Trimestre 2019 Lição 11

Valdemar Quaglio


EBD 2º Trimestre 2019 Lição 10 O Sistema de Sacrifícios

EBD 2º Trimestre 2019 Lição 10 O Sistema de Sacrifícios

Deus Criou um Sistema de Sacrifícios para os Israelitas, Indicando que Jesus Cristo Seria o Supremo Sacrifício; Ele Pagaria de Uma Vez por Todas, Morrendo Uma Só Vez Pelo Pecado do Mundo

EBD MOLDANDO VOCÊ

Valdemar Quaglio


Escola Bíblica Dominical (EBD) 2º Trimestre 2019 Lição 9 A Arca da Aliança

Escola Bíblica Dominical (EBD) 2º Trimestre 2019 Lição 9 A Arca da Aliança

A Arca da Aliança era de Madeira de Acácia, Revestida de Ouro; O Ouro Simbolizava a Divindade de Cristo e a Madeira Simbolizava a Humanidade de Cristo, Portanto em Geral A arca da Aliança Era a Presença de Deus Entre os Israelitas

Escola Bíblica Dominical (EBD) 2º Trimestre 2019 Lição 9 A Arca da Aliança

Valdemar Quaglio