A Razão da Nossa Fé

Lição 11

A Segunda Vinda de Cristo

A Segunda Vinda de Cristo Acontecerá em Duas Fases Distintas; O Arrebatamento e a Segunda Vinda de Cristo São Semelhantes mas os Eventos são Separados


Lições bíblicas adultos
3º trimestre 2017
A Razão da Nossa Fé
Assim cremos, assim vivemos
Partilhe! Obrigado.

LEITURA DIÁRIA DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL (EBD) LIÇÃO 11

A SEGUNDA VINDA DE CRISTO

Qual é a diferença entre o Arrebatamento e a Segunda Vinda de Cristo?"

É difícil determinar quando a Bíblia está se referindo ao Arrebatamento ou à Segunda Vinda.

Quando estudamos as profecias bíblicas do fim dos tempos, é muito importante diferenciar entre os dois.

O Arrebatamento é quando Jesus Cristo retorna para remover a igreja da terra.

O Arrebatamento é descrito em 1 Tessalonicenses 4:13-18 e 1 Coríntios 15:50-54. Os crentes que já morreram serão ressuscitados e, juntamente com os crentes que ainda vivem, vão se encontrar com o Senhor no ar. Isso acontecerá em um momento, em um piscar do olho.

A Segunda Vinda é quando Jesus retorna para derrotar o anticristo, destruir o mal e estabelecer o seu Reino Milenar.

A Segunda Vinda é descrita em Apocalipse 19:11-16.

As diferenças importantes entre o Arrebatamento e a Segunda Vinda de Cristo

No Arrebatamento, os crentes vão se encontrar com o Senhor nos ares (1 Tessalonicenses 4:17).

Na Segunda Vinda, os crentes vão retornar com o Senhor à terra (Apocalipse 19:14).

A Segunda Vinda ocorre depois da grande Tribulação. Apocalipse capítulos 6-19

O arrebatamento ocorre antes da grande Tribulação1 Tessalonicenses 5:9; Apoc. 3:10

O Arrebatamento é a remoção dos crentes da terra. 1 Tessalonicenses 4:13-17; 5:9).

A Segunda Vinda inclui a remoção dos incrédulos como um ato de julgamento (Mateus 24:40-41).

O Arrebatamento vai ser “secreto” e instantâneo (1 Coríntios 15:50-54). A Segunda Vinda vai ser visível a todos (Apocalipse 1:7; Mateus 24:29-30).

A Segunda Vinda de Cristo não vai ocorrer até depois de certos eventos dos fins dos tempos acontecerem (2 Tessalonicenses 2:4; Mateus 24:15-30;

O Arrebatamento é iminente, pode acontecer a qualquer momento (Tito 2:13; 1 Tessalonicenses 4:13-18; 1 Coríntios 15:50-54).

Por que é importante manter o Arrebatamento e a Segunda Vinda distintos?

Se o Arrebatamento e a Segunda Vinda são o mesmo evento, os crentes teriam que passar pela grande Tribulação (1 Tessalonicenses 5:9; Apocalipse 3:10).

Se o Arrebatamento e a Segunda Vinda são o mesmo evento, o retorno de Cristo não é iminente (ou seja prestes a acontecer)

... há várias coisas que precisam acontecer antes do Seu retorno (Mateus 24:4-30).

Ao descrever o período da grande Tribulação, Apocalipse capítulos 6-19 em nenhum lugar menciona a igreja.

Durante a grande Tribulação — também chamada de “tempo de angústia para Jacó” (Jeremias 30:7) — Deus vai voltar a sua atenção principal à nação de Israel (Romanos 11:17-31).

O Arrebatamento e a Segunda Vinda são semelhantes mas eventos separados.

 Os dois envolvem Jesus retornando.

Os dois são eventos do fim dos tempos.

No entanto, é importante reconhecer as diferenças.

Em resumo, o Arrebatamento é o retorno de Cristo às nuvens para remover os crentes da terra antes do tempo da ira de Deus.

A Segunda Vinda é o retorno de Cristo à terra para dar um fim ao período da grande Tribulação, derrotar o anticristo e seu império mundial diabólico e implantar o milénio

SEGUNDA – JOÃO 14:3, O SENHOR JESUS CRISTO NOS PROMETEU LEVAR PARA O CÉU

Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.”

Nunca devemos ler uma passagem da Bíblia sem antes entender o contexto em que ela está inserida.

Você sabe o que estava acontecendo quando Jesus disse essas palavras?

Se você ler o capítulo 13 de João, verá que o ambiente era de festa e ao mesmo tempo de angústias e aflições para alguns

Era noite de Páscoa e da última ceia, Jesus sabia que nas próximas horas ele seria crucificado,

Naquela noite foi revelado que havia um traidor entre eles e, se ainda não bastasse, Pedro foi avisado que negaria Jesus antes que o galo cantasse três vezes.

Mas mesmo no meio de tudo isso Jesus começa o capítulo 14 dizendo:

“Não se turbe o vosso coração”!

Mesmo no meio de uma situação prá lá de complicada Jesus não se desesperou e queria que seus discípulos também não se desesperassem.

Mas como os discípulos conseguiriam isso?

Credes em Deus, crede também em mim“.

Pedro certa vez andou sobre as águas (Mateus 14:25-31). Mas apenas enquanto manteve seus olhos em Jesus.

 A partir do momento que ele se preocupou com as ondas, começou a afundar.

Esse é o segredo para manter a ansiedade distante, e não deixar que o coração se turbe: Olhar para Jesus!

E ele nesta passagem faz uma promessa muito interessante.

Ele disse que iria preparar um lugar para nós na casa do Pai.

E esta não é uma casa pequena e apertada! Não há falta de espaço!

Mas para termos acesso a este lugar exclusivo na casa do Pai, não como hóspedes, mas como filhos, havia a necessidade de Jesus preparar o lugar.

Mas, afinal, o que seria essa preparação?

Muitos pensam que o versículo se refere à segunda vinda de Jesus, quando ele vai voltar para nos levar para o céu e, portanto, até lá ele está preparando esse lugar.

Mas o texto não trata da segunda vinda de Jesus. Ele trata de uma preparação que já está completa.

Antes da preparação de Jesus, não tínhamos acesso à casa do Pai. “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:23).

O Pecado mantem as portas da casa do Pai trancadas para nós. Esse é o problema que Jesus teria que resolver, esta era a preparação.

O que estava para acontecer naquela noite, era a preparação que Jesus precisava fazer.

A morte e ressurreição de Jesus nos capacitaram a ter acesso à casa do Pai!

Logo à frente, no versículo 6, Jesus afirma: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” Em outras palavras, ele estava dizendo: “A situação aparenta ser difícil, mas não se preocupem. O que eu vou fazer a partir de hoje até daqui a três dias vai capacitá-los a terem acesso ao Pai. Mas vocês precisam crer em mim!”

TERÇA – LUCAS 17:34-36, O ARREBATAMENTO DA IGREJA ACONTECERÁ REPENTINAMENTE

Digo-vos que naquela noite estarão dois numa cama; um será tomado, e outro será deixado. - Duas estarão juntas, moendo; uma será tomada, e outra será deixada. - Dois estarão no campo; um será tomado, o outro será deixado.

O conceito do retorno de Cristo como um ladrão na noite vem de Mateus 24:43: "Sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa."

Os elementos essenciais da advertência de Jesus são que ninguém sabe quando Ele voltará,

E temos que estar em um estado de preparação, sempre esperando pelo Seu retorno iminente.

Jesus advertiu que devemos estar sempre preparados porque ninguém senão o Pai sabe a hora do Seu retorno (Mateus 24:36-44).

Este evento tornou-se conhecido como o Arrebatamento.

A palavra "arrebatamento" não aparece em nenhuma parte da Bíblia, mas o evento sim.

A palavra usada no grego é harpazo ("arrebatar; agarrar subitamente"), encontrada em 1º Tess. 4:16-17: "Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor."

A natureza repentina deste evento é descrita em 1 Coríntios 15:51-54 como "num momento, num abrir e fechar de olhos."

Não haverá nenhum aviso da vinda de Cristo, assim como um ladrão na noite ele vem sem aviso.

Portanto, Jesus disse: Mateus 24:44, ficar "também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem."

Para o cristão, o Arrebatamento será um evento bem recebido, mas para todos os outros, será um momento de grande tribulação.

Imagine sendo deixado para trás enquanto milhões de cristãos em todo o mundo de repente desaparecem sem explicação.

Temos sido suficientemente advertidos pela Bíblia e pelo testemunho do próprio Filho de Deus para estarmos preparados.

Devemos estar vigilantes e protegidos pela armadura de Deus (Efésios 6:13-18).

QUARTA- JUDAS 14, A VINDA DE JESUS EM GLÓRIA

E destes profetizou também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos;

A Vinda Gloriosa do Senhor é um fato pronunciado pelas Escrituras, pois há mais de 300 menções sobre isso em o Novo Testamento,

Por exemplo, os capítulos 24 e 25 de Mateus e o 13 de Marcos são inteiramente dedicados ao assunto.

Enquanto para a Igreja, Jesus Cristo virá misteriosamente; para Israel, o Anticristo e as Nações Ele virá publicamente com poder e grande glória. Ninguém poderá escapar da Sua justiça.

O ser humano moderno vive iludido, pensando que não precisa prestar contas a ninguém.

Vive a vida a bel-prazer, acha não precisar pensar no que está certo nem errado.

O apóstolo Paulo diz que o dia em que o nosso Senhor vir, Deus julgará “os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho” (Rm 2.16).

Diante do Pai, não haverá quem possa dissimular ou esconder o que sempre desejou e o motivou.

No dia em que o nosso Rei julgar os povos, todos saberão quem Ele é e contemplarão a promessa da sua vinda em pleno cumprimento.

Não haverá, pois, quaisquer sentenças injustas, pois o nosso Deus é a própria justiça.

Outro ponto importante que se deve deixar bem claro é sobre alguns aspectos fundamentais a respeito da Vinda Gloriosa de Jesus:

1. Ela será de maneira pessoal (Jo 14.3). - 2. Ela será literal (At 1.10).

3. Ela será visível (Hb 9.28). - 4. Ela será gloriosa (Cl 3.4).

QUINTA – MATEUS 24:21, APÓS O ARREBATAMENTO DA IGREJA SE SEGUIRÁ A GRANDE TRIBULAÇÃO

O que é a Grande Tribulação?

Segundo o Dicionário de Profecia Bíblica, a Grande Tribulação é um “período de aflição e angústias incomuns que terá início após o arrebatamento da Igreja.

Deus, o justo Juiz, estará enviando sobre o mundo o seu juízo” (Is 13.11).

Este período de aflição e angústias terá a duração de sete anos

Ela ocorrerá, entre o arrebatamento da Igreja e a vinda de Jesus em Glória

Só os Santos escaparão desse período tenebroso

Os avisos dos juízos de Deus são prova do seu amor, visando livrar da destruição aqueles que aceitam a Cristo e obedecem à sua Palavra.

Será uma aflição “como nunca houve” na Terra (Mt 24.21; Ap 7.13,14).

A Igreja passará pela Grande Tribulação?

É preciso ressaltar que a Igreja não é o prédio onde os crentes se reúnem, mas a comunidade de salvos em Jesus Cristo.

A Palavra de Deus afirma que esta comunidade não passará pela Grande Tribulação:

“[...] e esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura” (1Ts 1.10).

João, no Apocalipse, registrou o livramento da igreja de Filadélfia, um exemplo de Igreja que será arrebatada:

Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra” (Ap 3.10; Is 57.1). Esta promessa é para a Igreja do Senhor (Ap 3.13,22).

SEXTA – 2ªCORINTIOS 5:10, O TRIBUNAL DE CRISTO

O que é o Tribunal de Cristo?"

Romanos 14:10-12 diz: “Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo... De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.”

II Coríntios 5:10: “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal.”

No contexto destes textos, é claro que se referem aos cristãos, não aos não-crentes.

O Tribunal de Cristo, desta forma, envolve crentes dando contas de suas vidas a Cristo.

O Tribunal de Cristo não determina salvação; esta foi determinada pelo sacrifício de Cristo em nosso lugar (I João 2:2), e nossa fé Nele (João 3:16).

Todos os nossos pecados são perdoados e nunca seremos condenados por eles (Romanos 8:1).

Não devemos olhar para o Tribunal de Cristo como Deus julgando nossos pecados, mas sim como Deus nos galardoando

No Tribunal de Cristo, crentes são recompensados tomando-se por base o quão fielmente serviram a Cristo (I Coríntios 9:4-27; II Timóteo 2:5).

As coisas pelas quais seremos julgados serão provavelmente o quão fielmente obedecemos à Grande Comissão (Mateus 28:18-20),

E quão vitoriosos fomos sobre o pecado, Romanos 6:1-4

A Bíblia fala dos crentes recebendo coroas por diferentes coisas com base em quão fielmente serviram a Cristo (I Coríntios 9:4-27; II Timóteo 2:5).

As várias coroas são descritas em II Timóteo 2:5; II Timóteo 2:4-8; Tiago 1:12; I Pedro 5:4 e Apocalipse 2:10.

A COROA DA VIDA; A COROA DA GLÓRIA; A COROA DA JUSTIÇA; A COROA DA ALEGRIA; A COROA DA VITÓRIA (COROA INCORRUPTÍVEL)

Tiago 1:12 É um bom resumo de como devemos pensar no Tribunal de Cristo: “Bem-aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.”

 SABADO – APOCALIPSE:22:20, JESUS EM BREVE VIRÁ

A Bíblia declara que o Senhor Jesus prometeu que voltará a este mundo. Logicamente a pergunta que fazemos é: quando Ele voltará?

Como saberemos se está próxima a Segunda Vinda de Jesus?

A Bíblia é clara com respeito a determinar o dia e a hora da volta do Senhor.

Jesus mesmo disse que “dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão somente o Pai.” Mateus 24:36

Mas Jesus deu indicações precisas da proximidade da Sua volta a este mundo.

Ele chamou essas indicações de sinais, e recomendou que estivéssemos atentos a eles porque a preparação é fundamental:

 Disse Ele “Aprendei, pois a parábola da figueira: Quando já os seus ramos se renovam, e as folhas brotam, sabeis que está próximo o verão. Assim também vós, quando virdes todas estas coisas, sabei que esta próximo, às portas.” Mateus 24:32,33.

Nas profecias de Mateus 24, Jesus combina duas ocorrências: Duas destruições:

A de Jerusalém e a do mundo por ocasião da sua segunda vinda, para o estabelecimento do Reino Eterno.

Os discípulos de Jesus lhe perguntaram: “Quando ocorrerão estas coisas e que sinais haverá da tua vinda e do fim do mundo?” Mateus 24:3

Já dissemos que a primeira parte se referia à destruição de Jerusalém.

Ela ocorreu no ano 70DC., quando Tito, general Romano a cercou e a destruiu.

Onze mil prisioneiros morreram de fome.

O historiador Josefo calcula que os Romanos levaram cativos 97.000 pessoas e que mais de um milhão morreu durante os 5 meses em que a cidade foi sitiada.

Alguns sinais se cumpriram na destruição de Jerusalém, e outros apontariam para a gloriosa volta do Senhor.

Assim, o que já se cumpriu reforça a nossa confiança na parte final da profecia:

“Vede que ninguém vos engane. Porque virão muitos em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo, e enganarão a muitos. E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; vede não vos assusteis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes e terremotos em vários lugares. Porém, tudo isto é o princípio das dores. Levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos.” Mateus 24: 4-8,11.

Porque surgirão falsos cristos, e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos. Portanto, se vos disserem: Eis que ele esta no deserto! Não saiais. Ou ei-lo no interior da casa! Não acrediteis. Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até no ocidente, assim há-de ser a vinda do Filho do homem.” Mateus 24:24-27.

Jesus também disse que haveria outros sinais tais como o escurecimento do sol e da lua, e a queda de estrelas. Conforme Mateus 24: 29.

Esses sinais se cumpriram dia 19 de maio de 1780 e 13 de novembro de 1933 e foram amplamente divulgados pelos jornais e meios científicos. 

Milhões de pessoas ficaram assustadas pensando que o fim do mundo havia chegado.

Outro sinal importante dado por Jesus, foi a pregação do evangelho em todas as partes:  “Então, disse  o   Senhor: Virá o fim.” Mateus 24:14.

O Senhor também previu que as pessoas iriam esfriar em sua fé.

E está aí um outro sinal importante: “E por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos se esfriará.” Mateus 24:12

A Bíblia nos diz: “Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada, pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.” II Pedro 3: 9.

Ele virá no momento que as pessoas menos esperam. Inesperadamente como um ladrão de noite.

Fique firme porque a promessa de Jesus não falha. Ele sempre cumpriu o que prometeu. Ele virá.

A Bíblia diz que “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente”. Hebreus 13:8..

Os sinais de Sua vinda dizem que em breve Jesus voltará. Está você preparado?

Partilhe! Obrigado.


Vamos iniciar o 3º Trimestre de 2019 Na EBD, A Maior Escola Do Mundo; Seja Bem Vindo

Nosso Compromisso com Deus e Com as Pessoas é Ensinar e Transmitir Informações das Santas Escrituras

EBD MOLDANDO VOCÊ

Valdemar Quaglio


EBD 2º Trimestre 2019 Lição 11 O Sacerdócio de Cristo e o Levítico

EBD 2º Trimestre 2019 Lição 11 O Sacerdócio de Cristo e o Levítico

Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e feito mais sublime do que os céus.” (Hebreusb 7.26)

EBD Escola Bíblica Dominical 2º Trimestre 2019 Lição 11

Valdemar Quaglio


EBD 2º Trimestre 2019 Lição 10 O Sistema de Sacrifícios

EBD 2º Trimestre 2019 Lição 10 O Sistema de Sacrifícios

Deus Criou um Sistema de Sacrifícios para os Israelitas, Indicando que Jesus Cristo Seria o Supremo Sacrifício; Ele Pagaria de Uma Vez por Todas, Morrendo Uma Só Vez Pelo Pecado do Mundo

EBD MOLDANDO VOCÊ

Valdemar Quaglio


Escola Bíblica Dominical (EBD) 2º Trimestre 2019 Lição 9 A Arca da Aliança

Escola Bíblica Dominical (EBD) 2º Trimestre 2019 Lição 9 A Arca da Aliança

A Arca da Aliança era de Madeira de Acácia, Revestida de Ouro; O Ouro Simbolizava a Divindade de Cristo e a Madeira Simbolizava a Humanidade de Cristo, Portanto em Geral A arca da Aliança Era a Presença de Deus Entre os Israelitas

Escola Bíblica Dominical (EBD) 2º Trimestre 2019 Lição 9 A Arca da Aliança

Valdemar Quaglio