A Supremacia de Cristo

Lição 3

A Superioridade de Jesus em relação a Moisés

Cristo em tudo foi superior a Moisés; Enquanto Moisés foi um mordomo, Jesus foi Salvador e Dono

Faça aqui o download dos slides


Partilhe! Obrigado.

 Leitura introdutória – A SUPERIORIDADE DE JESUS EM TUDO

Muita gente evita a Epístola aos Hebreus e, em decorrência disso, se priva das riquezas deste livro tão majestoso. Alguns evitam este livro porque “ têm medo” dele. Outros o evitam porque o consideram “difícil demais” para a pessoa comum que está estudando a Bíblia. Por certo, Hebreus apresenta algumas verdades profundas, e nenhum pregador ou mestre ousaria afirmar que conhecem todas as verdades deste livro.

1. É um livro de estimativas – O termo superior é usado aproximadamente treze vezes nessa epístola. O autor mostra a superioridade de Jesus Cristo e de sua salvação em relação ao sistema religioso hebraico. Cristo é “superior aos anjos” ( Hb 1.4). Ele trouxe uma “esperança superior” ( Hb 7.19), pois Ele é o Mediador de uma “superior aliança instituída com base em superiores promessas” ( Hb 8.6). Cristo é superior a Moisés ( Hb 3.1). Ele é superior a Arão ( Hb 4.14). Seu sacrifício é superior ( Hb 10).

Outro termo que aparece repetidamente ao longo do livro é perfeito; no original grego, é usado por quatorze vezes. Significa uma posição perfeita diante de Deus. Essa perfeição jamais poderia ser alcançada pelo sacerdócio levítico ( Hb 7.11), pela lei ( Hb 7.19). Jesus Cristo entregou-se como oferta única pelo pecado e, desse modo, “aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados” ( Hb 10.14).

O adjetivo eterno é o terceiro termo importante para a entendermos a epístola aos Hebreus. Cristo é o “Autor da salvação eterna” ( Hb 5.9). Por meio de sua morte, ele [obteve] eterna redenção ( Hb 9.12) e compartilha conosco “a promessa de eterna herança” ( Hb 9.15). Seu trono é “ para todo sempre” ( Hb 1.8), e Ele é “sacerdote para sempre” ( Hb 5.6; 6.20; 7.17). Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje, e o será para sempre ( Hb 13.8).

Ao combinarmos essas três palavras importantes, descobrimos que Jesus Cristo e a vida cristã que Ele oferece são superiores, pois essas bênçãos são eternas e nos dão uma posição perfeita diante de Deus.

2. É um livro de exortação – O autor chama esta epístola de “palavra de exortação” ( Hb 13.22). O termo grego traduzido por “exortação” significa “encorajamento”. É traduzido por “consolação” em Rm 15.4. A epístola aos Hebreus não foi escrita para assustar as pessoas, mas sim para encorajá-las, e nos ordena: “ exortai-vos mutuamente cada dia” ( Hb 3.13). Ela nos lembra que temos “forte alento” em Jesus Cristo ( Hb 6.18).

3. É um livro de exaltação – esta epístola exalta a pessoa e a obra de nosso Senhor Jesus Cristo. Os três primeiros versículos apresentam este tema santo e sublime desenvolvido ao longo de todo o livro. Seu propósito imediato é provar que Jesus Cristo é superior aos profetas, homens tidos na mais alta consideração pelo povo judeu.

Cristo é superior aos profetas em sua Pessoa.

Em primeiro lugar, é o próprio Filho de Deus, não apenas um homem chamado por Deus. O autor deixa claro que Jesus é Deus ( Hb 1.3), pois sua descrição jamais poderia ser aplicada a um homem mortal. O “resplendor da sua glória” refere-se a glória de Deus que habitava no tabernáculo e no templo ( ver Ex 40.34-38 e I Rs 8.10). Cristo é para o Pai aquilo que os raios

são para sol. Da mesma forma como não se pode separar os raios do sol, também é impossível separar a glória de Cristo da natureza de Deus.

Em segundo lugar, Cristo é superior aos profetas em suas obras. Ele é o Criador do universo, pois por meio Dele, Deus fez o universo ( Hb 1.2). Cristo não apenas criou todas as coisas pela sua palavra ( Jo 1.1-5), como também sustenta todas as coisas por meio dessa mesma palavra poderosa ( Hb 1.3). Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste ( Cl 1.17).

Em terceiro lugar, Cristo é superior aos profetas no tocante ser a última Palavra de Deus. É fácil visualizar o contraste entre Cristo, o Profeta, e os outros profetas. Cristo é o Filho de Deus. Os profetas foram homens chamados por Deus. Cristo é a mensagem definitiva e completa. Os profetas possuíam uma mensagem incompleta. É evidente que a revelação do A.T quanto do N.T vieram de Deus; mas Jesus Cristo é a “última palavra” de Deus, no que se refere a revelação. Cristo é a fonte, o centro e o fim de tudo o que Deus tem para dizer.

Em quarto lugar, Ele governa como Rei ( Hb 1.3). Ele está assentado, pois terminou seu trabalho e se encontra “à direita da majestade, nas alturas”, o lugar de honra. Isso prova que ele é igual a Deus o Pai, pois nenhum ser criado jamais poderia assentar-se à destra de Deus

Agora você deve estar se perguntando: O que significa a expressão “ assentado a direita da majestade nas alturas”?

Em primeiro lugar, Jesus Cristo está descansando. Essa é uma imagem extraída do nosso dia a dia, quando chegamos em casa, depois de um dia de trabalho, sentamos e colocamos os pés para cima. Assim Jesus, “depois de ter realizado a purificação dos pecados, se assentou” ( Hb 1.3). Os sacerdotes do A.T exerciam seus deveres religiosos e ofereciam sacrifícios dia após dia, semana após semana, mês após mês. Eles tinham que permanecer de em pé, pois não havia assentos no tabernáculo, Jesus, porém, depois que ofereceu seu sacrifício, se assentou. O fato de os sacerdotes permanecerem de pé simbolizava que o ministério deles não era completo, enquanto que a postura de Jesus sentado indica que sua obra foi concluída.

Em segundo lugar, Jesus Cristo está reinando. Ele está assentado à direita de Deus, o lugar de suprema honra e poder no universo. A partir dessa posição ele enviou o Espírito Santo no dia de Pentecoste e continua enviando seu povo em missão. Toda autoridade no céu e na terra já foi dada a Ele.

Em terceiro lugar, Jesus Cristo está esperando – “até que os seus inimigos sejam colocados como estrado dos seus pés” ( Hb 10.13). Essas são palavras do Sl 100.1, que Jesus aplicou a si mesmo. Nesse salmo, Iavé diz acerca do Messias: “Assenta-te à minha direita até que eu faça dos teus inimigos um estrado para os teus pés”. O salmo combina duas perspectivas: Ele reina enquanto espera e espera enquanto reina.

Essa rica teologia inclui a ascensão e o período posterior, no qual Jesus Cristo está descansando, reinando e esperando. Enquanto descansa, Ele olha para trás, para o passado e declara que sua obra propiciatória foi consumada na cruz. Enquanto reina, Ele supervisiona o presente e envia seu povo em missão. Enquanto espera, ele antecipa o futuro, quando seus inimigos serão finalmente subjugados e seu reino será estabelecido em toda a sua plenitude. 

Partilhe! Obrigado.


Vamos iniciar o 3º Trimestre de 2019 Na EBD, A Maior Escola Do Mundo; Seja Bem Vindo

Nosso Compromisso com Deus e Com as Pessoas é Ensinar e Transmitir Informações das Santas Escrituras

EBD MOLDANDO VOCÊ

Valdemar Quaglio


EBD 2º Trimestre 2019 Lição 11 O Sacerdócio de Cristo e o Levítico

EBD 2º Trimestre 2019 Lição 11 O Sacerdócio de Cristo e o Levítico

Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e feito mais sublime do que os céus.” (Hebreusb 7.26)

EBD Escola Bíblica Dominical 2º Trimestre 2019 Lição 11

Valdemar Quaglio


EBD 2º Trimestre 2019 Lição 10 O Sistema de Sacrifícios

EBD 2º Trimestre 2019 Lição 10 O Sistema de Sacrifícios

Deus Criou um Sistema de Sacrifícios para os Israelitas, Indicando que Jesus Cristo Seria o Supremo Sacrifício; Ele Pagaria de Uma Vez por Todas, Morrendo Uma Só Vez Pelo Pecado do Mundo

EBD MOLDANDO VOCÊ

Valdemar Quaglio


Escola Bíblica Dominical (EBD) 2º Trimestre 2019 Lição 9 A Arca da Aliança

Escola Bíblica Dominical (EBD) 2º Trimestre 2019 Lição 9 A Arca da Aliança

A Arca da Aliança era de Madeira de Acácia, Revestida de Ouro; O Ouro Simbolizava a Divindade de Cristo e a Madeira Simbolizava a Humanidade de Cristo, Portanto em Geral A arca da Aliança Era a Presença de Deus Entre os Israelitas

Escola Bíblica Dominical (EBD) 2º Trimestre 2019 Lição 9 A Arca da Aliança

Valdemar Quaglio